MISSÃO

A Biblioteca Ricardo Azevedo tem como missão:

  • Promover o aprendizado ao longo da vida, o conhecimento e, consequentemente o avanço científico da nossa comunidade;
  • Fazer parte do processo de aprendizagem, para que todos os alunos tornem-se cidadãos responsáveis num mundo diverso e em constante transformação;
  • Atuar como preservadora da produção dos alunos;
  • Integrar-se cada vez mais à comunidade, para juntos melhorarmos cada vez mais.
  • PATRONO

    O nosso Patrono é o escritor e pesquisador da cultura popular Ricardo Azevedo. Nascido em 1949, em São Paulo, escreveu seu primeiro livro aos 16 anos (Um homem no sótão). Se formou em Comunicação visual pela FAAP e é mestre em Letras e doutor em Teoria Literária pela USP.
    A maior parte de sua obra relaciona-se a cultura popular a ao folclore brasileiros.

    CLUBE DA LEITURA

    O Clube de Leitura castanheiras existe desde 2017. Mediado por Celinha Nascimento, todos os meses é lido um livro escolhido pelo próprio grupo, e em geral esse livro está relacionado ao tema do Encontro de Leitores do ano vigente.
    E o primeiro livro que iremos ler em 2019 é a Biografia de um dos homenageados do Encontro de Leitores: “Lima Barreto: Triste visionário”, ainda sem data para ocorrer.

    NOVAS AQUISIÇÕES

    O CACHORRINHO SAMBA NA FAZENDA

    Pela primeira vez, o cachorrinho Samba soube o que era a vida numa fazenda. Lá tudo era novidade: histórias e histórias para se ouvir! Tantos animais diferentes para se ver! Plantações e matas de perder de vista!
    Cada passeio, uma ventura, às vezes arriscada, mas sempre inesquecível.

    Três homens e uma canoa sem esquecer o cachorro

    Essa obra, publicada originalmente em 1889, nada mais é do que o relato bem­-humorado do autor sobre uma viagem feita por três amigos (mais o cachorro), que se aventuram em um pequeno bote pelo Rio Tâmisa, de Londres até Oxford. Os personagens são, na realidade, Jerome K. Jerome o narrador/autor e seus amigos George Wingrave e Carl Hentschel. O cão é Montmorency, integrante que dá mais vida à narrativa. Os três jovens passam dias enoites na embarcação, param a viagem para preparar o que comer, acampam, enfrentam chuva, surgem problemas. Mesmo entre amigos “ódios” passageiros acontecem. O jovem leitor irá se divertir muito e também se emocionar com momentos alegres e poéticos de uma proeza esportiva que é iluminada do início ao fim , pelo caloroso espírito da amizade dos três amigos.

    Marcelo Descobre a Alemanha

    Em Marcelo descobre a Alemanha, há dois núcleos principais na narrativa: o de um personagem adolescente – Marcelo – e o de uma jovem que viaja como empregada doméstica da família – Marli. O ritmo é o de uma estadia de um ano, em que os Coronha Vasconcelos vão viver em Leipzig, com data marcada para retornar. E, embora os personagens não tenham sentido a solidão de quem faz intercâmbio sem a família, vivem com dificuldades as diferenças culturais. O Muro de Berlim, a Segunda Guerra Mundial, a Baviera, a cidade de Leipzig, a vida e a obra de Goethe formam cenários panorâmicos da intensa história da Alemanha, cuja nação se formou tardiamente no século XIX, e são apresentados ao leitor pelos Coronha Vasconcelos.